Documentário narra a história de pessoas que participaram do Método Alfabetização em Oito Aulas

Claudiomiro é pedreiro. Antes de aprender ler e escrever, errava orçamentos e tinha dificuldades para entender projetos de obras. Schaiele precisava de altas notas para não reprovar na escola. Por repetir de série diversas vezes e não conseguir ser alfabetizado, os professores de Jhonathan disseram que ele necessitaria de educação especial. Com 62 anos, o pintor Lídio envergonhava-se por se perder nas grandes cidades. Não lia placas de rua, nem letreiros de ônibus. E dona Lenira se atrapalhava com as medidas das receitas. Situações desagradáveis transformadas em passado depois que eles participaram do método de Alfabetização em Oito Aulas.



Realizado por Produtora WW Som & Imagem

Borracheiro que não conseguiu ler ao vivo no Programa Mais Você é alfabetizado através do método

O carioca Antônio Costa dos Santos aceitou o desafio de ser alfabetizado em 10 dias pelo método convencional. Em outubro, no Programa Mais Você, da TV Globo, ao vivo, Antônio não conseguiu ler e escrever. Dias depois, Antônio, sua esposa Lucimar e sua filha Ana Cleide, ambas também analfabetas, participaram do método Alfabetização em Oito Aulas e aprenderam ler e escrever em apenas 3 dias. As imagens são amadoras, mas registram as aulas que alfabetizaram a família em tão pouco tempo.

Autor analfabeto aprende ler e escrever em 3 dias

Em Campina Grande, interior da Paraíba - 132 Km de João Pessoa - vive Manuel Vidal, um analfabeto com livro publicado. Manuel Batata, como é chamado pelos amigos, ditou a história para a neta e o resultado foi o livro Memórias de Campina Grande. Em agosto de 2010, o autor aprendeu ler e escrever depois que participou do método de Alfabetização em Oito Aulas e realizou seu maior sonho: pedir um prato ao garçom sem a ajuda de ninguém.